“A Filarmónica vai ao Fado” e levou centenas ao CAE

“A Filarmónica vai ao Fado” e levou centenas ao CAE

“A Filarmónica vai ao Fado” e levou centenas ao CAE

“A Filarmónica vai ao Fado” e levou centenas ao CAE

No dia 14 de abril, a FIRA - Filarmónica Instrução e Recreio de Abrunheira voltou a escrever mais uma bonita página na sua história centenária ao proporcionar uma tarde inesquecível, no Centro de Artes e Espetáculos, na Figueira da Foz, com a iniciativa “A Filarmónica vai ao Fado”, com a participação do fadista António Pinto Basto.“Contamos ter a lotação da sala quase esgotada, por isso, é com muita alegria que desejamos que as mais de 700 pessoas saiam daqui felizes com a FIRA”, avançou presidente da direção, Bruno Reis que, antes do concerto, aproveitou o momento esclarecer que “o concerto foi possível graças ao apoio da CCAMBM”.“Estes são momentos são também importantes para proporcionar uma experiência diferente e enriquecedora aos nossos músicos”, reforçou.O vereador Décio Matias, acompanhado do presidente da União de Freguesias de Abrunheira, Verride e Vila Nova da Barca, Carlos Alves, deixou palavras de elogio à FIRA e ao fadista convidado pelo “espetáculo surpreendente e de grande qualidade” e frisou: “A cultura no concelho continua vibrante, muito rica, com capacidade para atrair muito público e a prosseguir com um caminho de afirmação do nosso território, levando o nome da Abrunheira e de Montemor-o-Velho cada vez mais longe”.Sob a direção do maestro António Luís Mota, a FIRA apresentou-se em concerto, tendo também acompanhado o fadista António Pinto Basto que, antes iniciar a sua atuação com o tema “Dá a surpresa de ser”, elogiou a FIRA e “a sua média de idades surpreendente”, fazendo ainda referência “ao senhor António Patrício Mota, [músico com mais de 80 anos], por estar mergulhado neste oceano de juventude”.



EM DESTAQUEÚLTIMAS NOTÍCIAS DE Montemor-o-Velho - VER TODAS



PUBLICIDADE




FB